27 de fevereiro de 2013

Resenha: Caminhos de Sangue

Autora: Moira Young
Editora: Intrínseca
Edição: 1/2012
Número de Páginas: 352

Saba passou a vida inteira na Lagoa da Prata, uma imensidão de terra desértica assolada por constantes tempestades de areia. O lugar não a incomoda, contanto que o irmão gêmeo, Lugh, esteja por perto. Quando, porém, uma gigantesca tempestade chega trazendo quatro cavaleiros de mantos negros em seu rastro, a vida que Saba conhece chega ao fim: Lugh é raptado e ela tem que embarcar em uma perigosa jornada para resgatá-lo. Repentinamente jogada na realidade selvagem e sem lei do mundo além da Lagoa da Prata, Saba não consegue pensar no que fazer sem Lugh para guiá-la. Por isso, talvez a maior surpresa seja o que descobre sobre si mesma: é uma lutadora incansável, uma sobrevivente feroz e uma oponente perspicaz. Com a ajuda de um audacioso e atraente fugitivo e de uma gangue de garotas revolucionárias, Saba se torna a protagonista de um confronto que vai mudar o destino de sua civilização. Com ritmo arrasador, ação constante e uma história de amor épica, Caminhos de Sangue é uma aventura grandiosa ambientada em um mundo futurista e violento. 

Não sou hipócrita a ponto de dizer que o poder, a riqueza, o intelecto não são importantes na vida do ser humano, pois são sim. Mas ultimamente se tornaram muito mais essenciais ao homem atual devido a diversos fatores que não compensam ser relatados aqui por serem temas que geram bastante debate. Mas que de modo geral, qualquer um sabe do que se trata.

 Em Caminhos de Sangue, a autora Moira Young explora esses valores de uma forma mais intensa. De um lado um Rei lunático apegado a fanatismo, que envenena o povo com um tipo de erva alucinógeno e escraviza pessoas para lutarem ou trabalharem em plantações enquanto vive no bem bom, e do outro nossa protagonista Saba, simplória, alienada, mora com o pai e os irmãos, coloca seu irmão gêmeo em um patamar de idolatria. Mas a realidade de Saba muda completamente após uma tempestade e com a chegada de estranhos que levam seu irmão embora e matam seu pai. Tudo aquilo que ela acreditava sofre uma drástica mudança.

Fiquei intrigado e ao mesmo tempo fascinado pela forma que a autora posicionou a personagem Saba na estória. Ela é completamente alienada sobre todas as coisas, nunca foi à escola, e o pouco que sabe, aprendeu de ouvir falar. Por esses motivos ela se vê totalmente desamparada e despreparada para enfrentar o futuro que se altera após aquela tempestade... E ainda se vê responsável pela irmã mais nova que tanto detesta.

Nessa jornada em busca de Lugh, Saba, Emmi, e o Nero (o corvo de estimação da família) se metem nas maiores das enrascadas, Saba se vê obrigada a lutar em uma arena de gladiadoras, para manter a irmã a salvo e conseguir o máximo de informações para encontrar o irmão.

Saba em Vila Esperança como gladiadora, é o mesmo que Saba na escola. É no momento de maior sofrimento e dor que ela vai aprendendo mais das pessoas e do mundo, e começa a perceber qualidades antes invisíveis nela quando o Lugh era o centro das atenções.
Nero, o corvo, é o personagem mais intrigante. Sendo um animal, ele tem uma mente racional, Saba diversas vezes se consulta com ele. Além de ele ter um quê divino, como se fosse um guia espiritual , um anjo da guarda.

Emmi (a irmã caçula) inicialmente é uma personagem desprezível, não se sabe ao certo a onde ela nos levará, mas com o decorrer da história ela vai se mostrando uma garota esperta e perspicaz. Na realidade ela sempre foi, mas como lemos tudo no ponto de vista de Saba, ela só percebe isso quando a irmã se torna admirável aos seus olhos.

Narrado em primeira pessoa Caminhos de Sangue é um thriller que explora de forma clara as virtudes do homem, que sobreviveram ao apocalipse. E nos ensina que no deserto devemos tomar cuidado em quem confiamos, e que sempre escutemos o que nossos corações têm a dizer.

“...Você parece diferente.
Eu sei, digo. O cabelo.
Não. É mais que isso. É... você. Você mudou, Saba.
No dia que os Tonton foram pra lagos da Prata, tudo mudou, falo.
Acho que a gente vai ter que se conhecer tudo de novo.
Acho que sim, concordo com ele.” Pág. 317


Nota: (5)


4 comentários:

  1. Nossa, a trajetória da personagem antes e durante o livro é bem árdua e cheias de coisas para aprender... deve ser bom mesmo o livro!!

    ResponderExcluir
  2. Impressão minha ou esse livro além de ser thriller é um pouco distópico? Lembrou-me um pouco Jogos Vorazes, por causa da arena e pelo fato de ela ter que salvar/procurar os irmãos. O que não deixa de ser bom, fiquei super interessado em ler adoro livros deste gênero. E essa capa é LINDA! Ótima resenha, parabéns.
    Abraços.
    Manu, Blog Cereal Things.
    http://cerealthings.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Emanuel o livro é uma distopia, quando digo que é um Thriller é no sentido de que a história trata assuntos como escravidão, e jovens gladiadores por entretenimento e fanatismo, como se fossem normais, no caso essa é uma das críticas do livro! Leia e vc entendera... =)

      Excluir
  3. Amei a resenha. A estória é muito legal. A capa a PERFEITA!

    ResponderExcluir