1 de dezembro de 2012

Resenha: A Senhora da Magia - As Brumas de Avalon

Autor: Marion Zimmer Bradley
Editora: Imago
Edição: 2008
Numero de Paginas: 248

Neste enorme e emocionante romance, a lenda do rei Artur é contada pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Igraine, Viviane, Guinevere, Morgana. Elas revelam, com as suas vidas e sentimentos,a lenda de Artur, como se fosse nova de, ao mesmo tempo, levam o leitor a integrar-se na história, de maneira natural e profunda. Assim, esta obra proporciona uma narrativa soberba de uma lenda, e a recriação dessa lenda, bem como a brilhante contribuição para a literatura do ciclo arturiano.



Quem nunca ouviu, viu ou leu sobre o Rei Arthur, Avalon, Morgana, etc. Uma lenda que gira em torno de um jovem que está predestinado a governar um grande reino e ganha uma espada para que seu destino se cumpra. Em As Brumas de Avalon é basicamente isso, mas  Marion Zimmer Bradley diferencia sua obra tornando essa lenda em algo mais palpável, real.

A história se passa em uma Bretanha em guerra, onde a religião católica domina e os povos pagãos sucumbem ao esquecimento, uns desses povos são os servos da Grande Deusa, que possui seu templo em uma ilha chamada Avalon, que devido ao catolicismo a cada dia se esconde cada vez mais nas brumas. Viviane a grã-sacerdotisa da Deusa, conhecida como Senhora do Lago, na luta contra o esquecimento da religião antiga, usa de artimanhas mágica para influenciar o futuro ao favor de Avalon. 

O livro todo é narrado pelo ponto de vista de três mulheres Igraine (mãe de Morgana), Viviane e Morgana, que tem todo um propósito já que na religião da Grande Deusa as mulheres desempenhavam um papel importante, que divergia dos costumes da época. E na trama ambas as três desempenham papéis importantes para que Avalon sobreviva ao futuro.

Minha fascinação pela escrita de Marion é justamente pelo fato estória parecer fazer parte da História, ela consegue enraizar tudo em um plano verídico, até mesmo a magia chega a ser real, e a existência dela não facilita as coisas, para chegar a seu ápice, sacrifícios devem ser realizados (digo no sentido de que os personagens sofrem, morrem, mentem, erram).

Todos os personagens possuem características físicas muito especificas, para a época aparência era um divisor de águas, que definiam sua origem, seu grau de beleza, até mesmo quem eram seus progenitores.

Morgana se destaca em todos os momentos, dona de uma sobriedade incomum, quando realiza seu papel para a Grande Deusa, toda a sua firmeza se desfaz em pó, tornar-se conflitante, questiona sua crença, sua família, seu destino.

Apesar de a escrita ser culta, a narrativa ganha fluência em cada pagina virada, o livro termina em seu ápice, deixando ganchos para a continuação.

Nota: (5)



8 comentários:

  1. Essa série e tão barata e eu ainda não criei vergonha e li , pretendo ler em breve sim porque parece ser muito boa , sua resenha ficou uma das melhores que já li >D

    euvivolendo.blogspot.com ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "sua resenha ficou uma das melhores que já li >D" que bom que vc gostou! Espero q vc apareça sempre para comentar hehehehe =)

      Excluir
  2. Felipe!!!! Adorei a resenha, noooossa quero muito ler essa série agora!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que adorou Muri! quando quiser é só pedir emprestado, ou se vc quiser ter o submarino sempre está fazendo promoção dessa série.

      Excluir
  3. Oi Felipe! Muito boa a resenha, mesmo. Eu comecei a ler este livro, porém eu o abandonei...não sei por qual motivo :|
    Parabéns pela resenha :))

    Xoxo
    http://foolishhappy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Tai... Que pena q vc abandonou! Mas no momento certo vc retoma a leitura viu, e tenho certeza q vc vai adorar!

      Excluir
  4. Oi Felipe! Conheci o blog pelo seu recado no skoob. Então, A Senhora da Magia eu já li (faltam os outros livros ainda) e concordo com o que você disse na resenha, que foi muito boa diga-se de passagem. :)

    ResponderExcluir